Escolha uma Página

O desperdício de água sempre foi um grande problema para os consumidores, para as distribuidoras e para o próprio meio ambiente. Enfim, é um problema que afeta toda a sociedade e precisa ser corrigido com urgência.

Alguns hábitos do dia a dia são alguns dos mais importantes causadores de desperdício tanto de água como de energia elétrica. É válido se reeducar para não cometer certos erros. Desenvolver disciplina a fim de praticar novas ações, muito mais econômicas, que evitem os gastos maiores ou comprometam os recursos naturais.

Quer saber mais? Mostraremos abaixo algumas dicas de como não desperdiçar água!

1. Evite deixar as torneiras abertas ou pingando

Um hábito nocivo muito comum é deixar que as torneiras fiquem pingando, ou mesmo abertas, depois de usadas. Isso acontece em qualquer lugar: no banheiro, na cozinha, nas áreas molhadas, no quintal.

Trata-se de um esquecimento ou falta de displicência, mas os resultados aparecem no final do mês, expressos em números que representam valores mais altos.

Lembre-se da lição das cavernas onde uma goteira, pingando continuamente, é capaz de abrir um buraco na rocha. Da mesma forma, um torneira pingando pode fazer um “rombo” em seu orçamento.

2. Feche torneiras e chuveiros durante o intervalo de uso

Não deixe o chuveiro aberto enquanto estiver se ensaboando. O correto é fechar e abrir depois para se lavar. Aberto por somente 36 segundos, um chuveiro pode desperdiçar água em um volume de até 25 litros!

Da mesma forma, enquanto estiver escovando os dentes, deixe a torneira fechada. Só a abra depois, quando tiver concluído a escovação, para o enxague da boca.

Sempre que fizer um serviço em que haverá um intervalo no uso da água, mantenha a torneira fechada. É o que acontece também com lavagem manual de pratos ou de carro e irrigação de plantas. Muitos motoristas deixam a mangueira aberta enquanto passam sabão ou outro produto no veículo.

3. Evite usar água em excesso

Na hora de usar equipamentos eletrônicos, como máquina de lavar roupas e máquina de lavar pratos, evite usar água em excesso. No próprio manual do proprietário, vem explicando o volume ideal de água a ser utilizado conforme a quantidade de material que será lavado. Todo excesso é prejudicial e aumenta os zeros nas contas mensais.

Da mesma forma, ao encher sua caixa d´agua, no chão ou no telhado, a banheira, o tanque e qualquer outro reservatório controle o volume de água, evitando deixá-la esborrando. Isso também representa desperdício de água e, consequentemente, contas mais altas.

Além disso, a água que entra em contato com o chão contribui para sua erosão. Assim, o piso, com o tempo, pode rachar e até afundar, o que representa perigo para os usuários, ou seja, uma possibilidade maior de acidentes — sem falar nos custos para reparar o dano, que envolvem mão de obra e materiais.

4. Crie um sistema de coleta de água da chuva

Uma dica muito relevante para não desperdiçar água é criar um sistema de coleta de água da chuva. A água da chuva é totalmente destilada, sem impurezas e sem sais minerais também (por isso, não se recomenda bebê-la). Claro que, em contato com o telhado, por exemplo, ela acaba acumulando impurezas, o que a torna ainda mais inviável para consumo, a não ser que seja submetida a um processo de tratamento.

A água da chuva pode ser usada com a finalidade de lavar o chão, regar as plantas, lavar veículos e assim por diante.

É uma forma eficaz e gratuita de aproveitar um recurso tão importante para a vida no planeta. Você só terá custos em criar e/ou instalar o sistema de coleta, mas certamente vale a pena.

5. Reaproveite a água que já foi usada

Também é possível reutilizar água que já foi usada. Isso implica em um processo mais complexo, pois dependendo do estado em que ela se encontra será necessário algum tratamento para livrá-la de algumas impurezas.

De qualquer modo, você pode aproveitar a água da máquina de lavar roupa, da máquina de lavar pratos, do tanquinho, da piscina, a água da caixa d´água que apresenta alguma impureza e de qualquer reservatório que precise ser esgotado.

Essa prática atende aos princípios de sustentabilidade, confirmando que quase tudo pode ser reaproveitado, não precisa ser descartado imediatamente. O meio ambiente agradece a todas essas práticas.

6. Previna-se: procure por vazamentos para não desperdiçar água

Outra dica para evitar o desperdício de água é agir de forma proativa e ficar alerta aos primeiros sinais de vazamentos e infiltrações. Um vazamento pode realmente consumir boa parte dos seus recursos financeiros. Primeiramente, devido aos possíveis prejuízos que tende a ocasionar na infraestrutura do imóvel. Mas também pode afetar o imóvel do vizinho ou até a calçada.

Vazamentos de instalações sanitárias são nocivos à saúde, facilitando a transmissão de doenças e aumentando as possibilidades de contaminação do solo e do lençol freático.

Os vazamentos em geral, sejam somente de água, sejam de água e dejetos, tendem a erodir o solo, o que representa danos sérios ao meio ambiente.

Para prevenir-se contra esses problemas, é importante contar com o trabalho de profissionais especializados. Esses profissionais, conhecidos como “caça-vazamentos” têm uma aparelhagem própria para procurar e identificar infiltrações e vazamentos.

Fazendo um bom uso dessas ferramentas, não será necessário recorrer ao método tradicional de “colocar a parede abaixo” ou “quebrar o piso” a fim de encontrar a tubulação danificada. Isso aumenta os gastos e o trabalho, deixando o imóvel sujo e, às vezes, limitando a movimentação das pessoas.

Existem estratégias e técnicas muito úteis, que ajudam a identificar esses problemas e mostrar os resultados em tempo real para o cliente:

  • ultrassom: aparelho que detecta a existência de canos furados através dos sons característicos no interior das paredes ou sob o piso (essa técnica é muito usada na Medicina para identificar anomalias no organismo sem a necessidade de cirurgias);
  • termografia: por meio de um aparelho específico, o profissional consegue detectar, pela diferença de temperatura, a presença de um vazamento em um lugar não visível (a água aumenta a umidade nos focos em que está vazando, gerando diferença de calor);
  • câmera de inspeção: através de uma câmera especial, presa à extremidade de um cabo ótico, o profissional vasculha a parte interna da tubulação em busca de alguma irregularidade (as imagens registradas pela câmera são transmitidas a uma tela que também integra o equipamento).

Evite sempre desperdiçar água aplicando as estratégias acima, inclusive prevenindo-se contra os efeitos negativos dos vazamentos e infiltrações!

E você, já aplica essas estratégias? Gostaria de deixar uma dica aqui no post? Dê sua opinião nos espaços abaixo.

0800 7735325

(19) 3258-2447

(19) 99193-6965

[email protected]
Entre em Contato

Olá! Envie sua mensagem que responderemos em breve.