Escolha uma Página

Para manter um bom relacionamento entre o ser humano e o meio ambiente, é preciso principalmente ficar atento a dois pontos: a utilização racional dos recursos naturais e a destinação correta dos resíduos que são produzidos enquanto usamos os recursos naturais.

Para a destinação adequada dos resíduos originados em nosso dia a dia, é necessário diminuir o máximo possível seu impacto no meio ambiente. É importante para essa redução saber diferenciar os lixos originados dos processos industriais daqueles resultantes dos processos domésticos.

Veja o que são efluentes e qual a diferença existente entre o doméstico e o industrial!

O que são os efluentes?

Os efluentes são rejeitos que se originam dos processos produtivos ou do consumo humano. Existem em uma diversidade muito grande. Desde as cascas de uma laranja que jogamos no lixo até o substrato sem utilidade que se origina do beneficiamento de minérios, cada parte do lixo provoca diferentes impactos no ecossistema.

É importante saber que tipo de material está sendo rejeitado para encontrar as melhores formas de descarte. Para tornar essa compreensão mais fácil, é preciso distinguir os resíduos industriais dos resíduos domésticos.

Os efluentes domésticos

Ainda que, na maioria parte das vezes, o efluente doméstico tenha menos potencial poluente, os resíduos de nosso lar também podem causar danos graves ao meio ambiente. A elevada quantidade de material orgânico produzido, bem como os possíveis produtos químicos, promovem um aumento no impacto ambiental.

Entre os efluentes domésticos, podemos citar:

  • O esgoto sanitário de prédios, de edifícios comerciais, de casas térreas e de outros estabelecimentos;
  • As caixas de gordura de casas, lanchonetes, restaurantes;
  • As fossas sépticas, muito usadas em ambientes rurais.

O esgoto sanitário

O esgoto sanitário é um efluente doméstico especial. Envolve os dejetos oriundos de residências, indústrias, estabelecimentos comerciais, qualquer construção com cozinha e/ou banheiro, com disposição em redes de captação, fossas ou tanques de acúmulos.  

O esgoto sanitário é composto por líquidos e sólidos gerados pela limpeza de nossas casas e instalações, dejetos sanitários etc, composto por urina, fezes, lavagem de áreas comuns, restos de comidas etc. Envolve sólidos suspensos e sólidos dissolvidos, matéria orgânica, organismos causadores de doenças (bactérias, vírus, helmintos, protozoários) e nutrientes (fósforo, nitrogênio etc).

Os efluentes industriais

O efluente industrial envolve os rejeitos originados da produção industrial, não sendo utilizados pela fábrica. Como há muitos tipos de indústrias, os rejeitos também modificam muito. Entre os exemplos, podemos citar os rejeitos orgânicos da indústria de alimentação e aqueles originados da mineração, graxas e óleos em indústrias mecânicas e produtos químicos em indústrias químicas ou farmacêuticas.

O efluente industrial biodegradável tem características próprias, pertinentes aos processos industriais. Os aspectos químicos, físicos e biológicos mudam de acordo com a atividade industrial, a operação, a matéria-prima usada e outros pontos.

Para que os parâmetros de tratamento sejam analisados, é importante que uma amostra do resíduo líquido seja coletada e enviada para ser caracterizada em um laboratório credenciado. O resultado do laudo deve conter a avaliação dos parâmetros registrados no artigo 19A do Decreto 8468/76, acrescido de DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio), DQO (Demanda Química de Oxigênio), SST (Segurança e Saúde no Trabalho), BTEX (grupo de hidrocarbonetos que inclui o benzeno, tolueno, etil-benzeno e xilenos).

Há leis federais que regem as proibições na relação entre empresas e o meio ambiente. É o caso da Lei da Política Nacional de Meio Ambiente.

Além de produtos líquidos e gasosos

É comum que as pessoas achem que o termo “efluente” se refira somente a substâncias no estado líquido ou até gasoso. Mas o termo é mais abrangente, envolvendo também produtos em estado sólido ou em estado intermediário, desde que apresente um potencial tóxico muito alto.

Mais uma vez, reiteramos a importância de conhecer a natureza do efluente para que seja conferida a destinação e o tratamento mais apropriados.

Quais são os tipos de efluentes industriais?

Podemos resumir os efluentes industrias nos seguintes tipos:

A água de lavagem

Envolve uma variação grande de resíduos, como a água de lavagem de:

  • Chão de fábrica, desde que não tenha óleos e outros contaminantes;
  • Containers, pelo processo de vaporização, dependendo do tipo de material armazenado;
  • Equipamentos para fabricação de produtos de higiene pessoal;
  • Tanques de preparo de materiais saneantes e domissanitários;
  • Máquinas e equipamentos utilizados na produção de medicamentos para uso animal;
  • Máquinas e equipamentos usados na produção de bebidas e alimentos;
  • Máquinas e equipamentos empregados na produção de cosméticos;
  • Máquinas e equipamentos usados na produção de produtos de limpeza;
  • Processos para fabricação de embalagens;
  • Máquinas e equipamentos para produção de fármacos.

A água residuária

A água residuária envolve a água resultante de:

  • Tingimento de algodão com pigmentos orgânicos;
  • Processos de fabricação de resinas.

O efluente propriamente dito

Nessa subcategoria, estão reunidos os resíduos gerados em:

  • Tanque de absorção de material particulado no setor de lixamento de madeira;
  • Lavagem de tanques de GLP;
  • Laboratórios da empresa (em testes de controle de qualidade, na fabricação de corantes);
  • Locação de banheiros químicos (livres de metais);
  • Limpeza e descontaminação de equipamentos;
  • Pós-tratamento físico-químico.

O lodo líquido e chorume de aterros classe II

O lodo líquido consiste na substância originada de ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) biológica, principalmente a sanitária. O chorume é formado pela decomposição de materiais orgânicos em aterros sanitários.

Como é feito o tratamento dos resíduos?

Para uma destinação apropriada, é necessário, em alguns casos, realizar um tratamento anterior do efluente. Em efluentes domésticos, a compostagem caseira pode reduzir bastante o total de material lançado no meio ambiente. Em outros casos, um processo integral de tratamento químico é fundamental.

De forma resumida, o tratamento de resíduos é formado por três etapas básicas:

  • A concentração do poluente que será eliminado;
  • A remoção do poluente por meio de métodos específicos;
  • A recuperação de determinado produto.

Diferentes segmentos podem destinar os efluentes citados no texto para o devido tratamento biológico. É o caso, por exemplo, de:

  • Aterros sanitários;
  • Abatedouros (frigoríficos);
  • Cerâmicas;
  • Indústria automotiva (somente o efluente tratado ou sem contaminantes);
  • Cervejarias;
  • Destilarias;
  • Depósitos e comércio atacadista de GLP;
  • Gráficas (materiais sem solventes);
  • Funerárias (água usada para preparar os corpos);
  • Hotéis, motéis e condomínios;
  • Lavanderias;
  • Metalúrgicas;
  • Shoppings centers;
  • Indústrias de cosméticos, de remédios veterinários, de móveis, de embalagens, de produtos de higiene/limpeza, de alimentos, de medicamentos, de ração para animal, de papel (celulose), de refrigerantes, de produtos químicos em geral.

Independentemente de serem industriais ou domésticos, os efluentes devem ter a correta destinação e o devido tratamento para evitar impactos mais graves ao meio ambiente.

Gostou do texto? Ele respondeu a muitas dúvidas que você tinha? Aproveite e veja quais são os impactos que os vazamentos podem causar no meio ambiente.

0800 7735325

(19) 3258-2447

(19) 99193-6965

[email protected]
Entre em Contato